A RELAÇÃO DAS AVÓS COM AS MÃES E OS NETOS

Marca Beptantol acredita na força deste laço como rede de apoio para a mãe e para o desenvolvimento dos pequenos

Bepantol

Durante a gestação, a mãe passa por diversas mudanças físicas e psicológicas e, nesse momento de preparação para a chegada do bebê, é importante estar cercada de pessoas de confiança e que possam ser sua rede de apoio, como por exemplo, sua mãe e/ou sogra, as futuras vovós – que, ao lado dos avôs, têm um dia para chamar de seu, 26 de julho. É delas também que vêm o carinho e o cuidado, muito benéficos para os pequenos.

Entendendo a importância desta relação, a marca Bepantol® Baby, antiassaduras da Bayer, apoia que esse laço seja construído desde a gestação, por acreditar que a presença das avós é essencial para o desenvolvimento emocional das crianças, além de influenciar positivamente toda a família, principalmente a mãe e, consequentemente, a própria avó.

Acompanhando a filha/nora desde a gestação e em uma sociedade cada vez mais inclusiva como a de hoje, é comum vermos as avós mais presentes também após o nascimento, cuidando das crianças, por exemplo, nos primeiros meses, enquanto a mãe descansa, ou quando ela e o pai estão trabalhando. Mulher de confiança e experiente, a avó repassa os seus conhecimentos na hora dos cuidados e enche os pequenos de muito carinho.

Além disso, para estarem cada vez mais aptas para a nova geração, elas estão também conhecendo as novas tecnologias e produtos que podem ser agregados à sua experiência como avó e que facilitam a rotina, como Bepantol® Baby, que é fácil de passar e tirar e, por ser livre de conservantes e agentes irritantes, não agride a pele dos pequenos.

HORMÔNIO DO AMOR

A presença da avó no cotidiano – sempre de forma a respeitar o espaço da família – é benéfica para todos. Para os pais, ela é uma das referências na hora das dúvidas sobre os cuidados.

Para os pequenos, especialistas acreditam que a relação aumenta o repertório emocional da criança, tornando-a cada vez mais segura e, ao mesmo tempo, colaborando positivamente para a formação de sua personalidade. Além disso, essa relação também favorece que as crianças desde cedo aprendem a respeitar os mais velhos. Nesse contexto, segundo pesquisas, quanto mais vínculos amorosos as crianças têm, mais aprendem maneiras de receber e expressar o afeto.

E, para a vovó, o convívio próximo auxilia na liberação de ocitocina – hormônio de amor – que pode ajudar na preservação das células do organismo dos mais velhos, fazendo com que eles vivam mais. O contato mais próximo com os netos também pode beneficiar a avó, tornando-a mais ativa e afastando a depressão.