Muito se tem ouvido falar em Zika, mas será que sabemos realmente do que se trata?

Até ao final do ano de 2015, foram confirmados, no Brasil mais de 1700 casos de Kika e perto de 73 mortes registadas (3 adultos e 70 crianças com microcelalia). Estes números são assustadores, pelo que é importante estarmos informados.

Zika – sinais e sintomas

O vírus Zika provoca uma doença que pode até ser imperceptível, uma vez que os sinais e sintomas podem ser bem ligeiros. Aliás, segundo o Centro de Controlo de Doenças, apenas 1 em cada 5 pessoas que são infetadas pelo vírus Zika, manifesta a doença. Esses sinais e sintomas podem ser:  febre; erupções cutâneas; dores nas articulações, conjuntivite, dores de cabeça e musculares.  Pode ainda causar, embora aconteça com menor frequência, dores nos olhos e problemas gastrointestinais, como náuseas, vômitos, diarreia.

Para um individuo saudável, tanto quanto se sabe, a doença provocada por este vírus pode não causar grande mossa, o problema está nas mulheres grávidas, uma vez que há suspeitas de que este vírus provoque microcefalia no feto.

Zika

Zika

O que é a microcefalia?

Microcefalia é uma condição em que a cabeça do bebé é muito menor do que o esperado. Durante a gravidez, a cabeça de um bebé cresce porque o cérebro do bebé cresce. Microcefalia pode ocorrer porque o cérebro de um bebé  não se desenvolveu adequadamente durante a gravidez ou parou de crescer após o nascimento, o que resulta num tamanho menor cabeça. Microcefalia pode ser uma condição isolada, o que significa que ela pode ocorrer sem outras grandes defeitos de nascimento, ou pode ocorrer em combinação com outros problemas, tais como:

– Convulsões;

– Atraso no desenvolvimento físico e inteletual, tais como problemas com a fala, com o crescimento ou outros marcos de desenvolvimento (como sentado, em pé e andar);

– Problemas com o movimento e equilíbrio;

– Problemas de alimentação, tais como dificuldade de deglutição;;

– Perda de audição;

– Problemas de visão.

Microcefalia é uma condição ao longo da vida, porque não há nenhuma cura conhecida ou tratamento padrão para microcefalia. A microcefalia pode variar de leve a grave, por isso as opções de tratamento podem variar também.

Transmissão

O vírus Zika é transmitido para as pessoas principalmente através da picada de um mosquito infectado, de nome Aedes, o mesmo que é responsável pela dengue e chikungunya . Esses mosquitos normalmente colocam ovos em água parada, em sítios como baldes, bacias, pratos de água de animais, vasos de flores e vasos, sendo aí que incubam este vírus.

Os mosquitos são infetados quando eles se alimentam de uma pessoa já infetada com o vírus, mosquitos infectados podem então transmitir o vírus a outras pessoas através de picadas.

Acredita-se que não haja transmissão de pessoa para pessoa, mas que o Zika seja transmitido através do líquido amniótico, do leite materno e, está-se ainda a estudar, a possibilidade de transmissão através do contato com sangue e contato sexual.

Em caso de viagem para zonas com vírus Zika ativo

As entidades competentes estão a desencorajar as pessoas a viajarem para locais com o víruz Zika ativo. No caso de, ainda assim, viajarem, aqui ficam algumas recomendações:

  1. Antes do início da viagem, deve-se procurar aconselhamento em Consulta do Viajante, em especial mulheres grávidas;
  2. No país de destino seguir as recomendações das autoridades locais;
  3. Assegurar proteção contra picada de mosquitos:
  4. Utilizar vestuário adequado para diminuir a exposição corporal à picada (camisas de manga comprida, calças);
  5. Optar preferencialmente por alojamento com ar condicionado;
  6. Utilizar redes mosquiteiras;
  7. Ter especial atenção aos períodos do dia em que os mosquitos do género Aedes picam mais frequentemente (a meio da manhã e desde o entardecer ao pôr do sol);
  8. Aplicar repelentes de insetos observando as instruções do fabricante, tendo em atenção que: crianças e mulheres grávidas podem utilizar repelentes de insetos apenas mediante aconselhamento de profissional de saúde; os repelentes não são recomendados para bebés com idade inferior a 3 meses; se tiver de utilizar protetor solar e repelente, aplicar primeiro o protetor solar e depois o repelente de insetos.

Por outro lado, os viajantes provenientes de uma área afetada que apresentem, até 12 dias após a data de regresso, os sintomas referidos no início da publicação, devem contatar uma Unidade de Saúde, referindo a viagem recente. Aconselham-se, ainda, as mulheres grávidas que tenham permanecido em áreas afetadas, que após o regresso, consultem o seu médico assistente mencionando a viagem.

Áreas onde foi detetado Zika:

Recentemente, foram notificados casos de doença por vírus Zika em vários países, nomeadamente Brasil, Cabo Verde, Colômbia, El Salvador, Fiji, Guatemala, México, Nova Caledónia, Panamá, Paraguai, Porto Rico, Samoa, Ilhas Salomão, Suriname, Vanuatu, Venezuela, Martinica, Guiana Francesa e Honduras.

Prevenção e Tratamento

Não existe vacina para prevenir, ou medicamento específico para tratar infecções Zika.

O tratamento é sintomático, ou seja, tratar os sintomas. Portanto, aconselha-se às pessoas que contraem Zika que descansem bastante, que bebam líqidos para evitar a desidratação, que tomem paracetamol para aliviar a febre e dores.

Texto de Ana Azevedo do blog Anas há muitas

Ana azevedo