IMG_0168Sou recém mãe, quem acompanha meu blog sabe que minha Larah tem seis meses apenas, e, neste período já ouvi tantas coisas e conselhos, que só Deus para me dar paciência e não responder de forma grosseira. Algumas chegam a ser até engraçadas.

Aquele dito popular: “Se não tem nada de bom para falar, fique quieto”, cai muito bem se colocada em prática em se tratando de palpites e comentários relacionados ao bebê ou a recém mamãe.

Sabemos que a grande maioria das pessoas dão palpites e fazem comentários no intuito de ajudar, mas, às vezes, estes excessos de zelo acabam criando mal entendidos ou verdadeiras guerras familiares (ou você duvida que uma mãe, do alto do seu desequilíbrio hormonal, poderia criar guerra contra a cunhada, sogra, tia o quem quer que tenha passado dos limites? Eu não duvido).

Pensando em algumas situações que já passei nestes meses e conversando com algumas mamães do grupo de Mamães do Facebook, a qual faço parte, relacionei 32 coisas que não devemos fazer, falar ou perguntar para uma recém-mãe.

Talvez para os palpiteiros de plantão, alguns itens podem parecer frescura, no entanto só quem deve julgar é a própria mãe.

Que tal fazer com que esta lista chegue de forma divertida ao alcance daquelas pessoas que tem cometido gafes?

Espero que gostem e ficarei feliz se você puder deixar nos comentários outros itens para aumentar nossa listinha.

32 coisas que não devemos fazer, falar ou perguntar para uma recém mãe.

  • Dizer: Deixa eu ver com quem parece, porque com  você não parece nada;
  • Mesmo sabendo que o bebê por algum motivo precisou ficar internado, questionar a mãe se a mãe não sente remoço de deixa-lo lá (a mãe já está a flor da pele por ter passado pelo parto e porque o bebê precisou de internação e ainda tem pessoas que fazem este tipo de comentário);
  • O bebê miúdo por ser prematuro e tem pessoas que soltam este comentário: “Está dando complemento né? Tão pequeno tem que engordar e só seu leite não está dando certo”;
  • Falar para uma mãe que fez cesárea que seu bebê não nasceu, foi extraído;
  • Acabou de nascer o bebê e já tem gente cobrando um irmão pois filho único é mimado;
  • Dizer:  Nossa, seu bebê é tão pequeno, você se alimentou direito na gestação?
  • Que faça comparações, sejam da criança ou da mãe;
  • Que condene as decisões sobre a alimentação;
  • Fazer qualquer piadinha dizendo que há outro bebê dentro da barriga de tão gorda que você esta;
  • Se oferecer insistentemente para dar banho, fazer o bebê dormir, fazer o bebê arrotar ou fazer qualquer outra coisa com o bebê (ofereça ajuda mas não insista);
  • Tirar o bebê da mãe quando ele começar a chorar;
  • Fazer comentários sobre a sua aparência (a não ser que sejam positivos e sinceros)
  • Questionar as orientações do pediatra;
  • Se “gabar” que você tirou de letra a maternidade;
  • Criticá-la caso ela tenha optado por dar ou não dar a chupeta;
  • Ficar repetindo: “faz assim, faz assado, faz assim, faz assado”
  • Perguntar por que ela está chorando (sim, ela vai chorar);
  • Perguntar se ela não acha que está com depressão pós-parto;
  • Dizer que o bebê tem cólica porque você não se alimentou direito na gestação;
  • Pergunta ou afirmar que você não leva jeito para ser mãe;
  • Ir visitar e acorde o bebê/criança;
  • Dar comida sem perguntar antes se pode;
  • Passar o bebê de colo em colo;
  • Beijar o bebê (quando é recém nascido);
  • Que questione se mama no peito;
  • E, se a resposta for não, que questione por que não.;
  • E, se a resposta for sim, que questione por que ainda mama nessa idade;
  • Que fique perguntando por que a criança chora tanto;
  • Que fique perguntando por que a criança não dorme;
  • Que questione a decisão do tipo de parto;
  • Que questione por que o bebê ainda não senta, não fala, não engatinha, não anda;
  • Que questionem a decisão de colocar na escolinha, não colocar na escolinha, contratar babá, não contratar babá, largar o trabalho para cuidar do filho;

Cada uma né pessoal, pois é tem muitas mamães sofrendo com pessoas sem noção que falam sem pensar.

Beijos

Adri