O na coluna Dicas de Outras Mães, tenho o prazer de trazer para vocês um relato escrito pela querida Daniela Monreal, mãe de 3 lindas meninas e escritora do blog Surpresas da Vida Espero que vocês gostem, eu amei.

COMO É SER MÃE DE TRÊS

Tinha pensado em outro rumo, outro ponto vista, outra linha de raciocínio quando eu ia começar a escrever. Mas aí, a Maria Eduarda, que é a minha filha mais velha, com oito anos, vendo-me sentada, pensativa, entretida, perguntou-me: “Sobre o que você está escrevendo, mamãe?” eu respondi que era sobre filhos e ela me disse:  “filho é bom né mamãe, assim você não fica sozinha no mundo.”

FILHOS, SÓ SABEMOS QUANDO OS TEMOS.

MÃE DE TRÊS

MÃE DE TRÊS

Tenho três meninas. A Maria Eduarda de oito anos, que já citei acima, a Manuela de seis anos e a Mariana de três anos. Todas as três com suas diferenças e individualidades mas igualmente lindas.

A Maria Eduarda nasceu um dia antes do meu aniversário de 24 para 25 anos. Havia acabado de me formar em Ciências Biológicas pela UNIFIA. Foi uma sequência de bons acontecimentos, um presentão de aniversário.

Foi uma experiência única. Realmente pude vivenciar a expressão “nasceu uma mãe”. E nasce mesmo, pois nunca demos banho, trocamos fralda ou amamentamos e a partir do nascimento fazemos tudo com uma naturalidade ímpar. Fiquei apaixonada por aquele serzinho que estava ali, indefeso, pronto para ser lapidado. Foi uma alegria enorme para toda a família.

Quando a Maria Eduarda tinha dois anos  e dois meses, nasceu a Manuela. Mais um serzinho lindo estava sendo deixado sob os meus cuidados. QUANTA RESPONSABILIDADE!!!

Vocês podem imaginar, pela pouca diferença de idade, a loucura que era. Enquanto uma queria fazer xixi no peniquinho, a outra queria mamar. Então lá ia euzinha limpar o bumbum de uma com a outra no peito…

Nesta correria o tempo foi passando. A Maria Eduarda começou a ir a escola e a Manuela foi crescendo. As duas eram muito unidas. Brincavam muito e também brigavam muito. É assim até hoje.

Tudo com dois filhos é mais complicado. Eles sempre querem coisas diferentes ao mesmo tempo. Agora imaginem três filhos. Não imaginam??? Eu também não imaginava!!!!

Estava tomando anticoncepcional, levando a vida na rotina de atividades das duas filhas quando em um belo mês, a menstruação não veio… PQP, COMO ASSIM NÃO VEIO!!!

Foi uma loucura. Principalmente quando o teste de farmácia confirmou minhas suspeitas.

FIQUEI EM CHOQUE!!! MAIS UMA GESTAÇÃO. Mais um serzinho, pequenininho, coitadinho, não sabe a loucura que está por aqui…

Ninguém imagina ficar grávida tomando anticoncepcional. Eu também não imaginava. E para quem está se perguntando não, eu não esqueci de tomar nenhum comprimido não, eu não tomei antibiótico, não…

Bom, depois de me acostumar com a ideia de um novo serzinho pensei: “agora vem meu menininho”. Mas não. Era a Mariana quem estava por vir. Quer dizer, veio um menininho mas, de saia… Ela realmente veio para fechar com chave de ouro, como dizem!!

E tudo que era difícil e complicado com duas filhas tornou-se “quase” impossível com três. Ainda bem que “quase” não se tornou impossível e superando todas as expectativas, entre mortos e feridos estamos todos bem…

Não vou dizer que não foi difícil. Quase morri de dor na terceira cesárea. Não sei se tem alguma coisa a ver mas, fiz laqueadura junto. AHHHH, SIM FIZ LAQUEADURA.Vai que o anticoncepcional falha de novo. E eu já havia tentado outras formas contraceptivas.

Mas, voltando as dificuldades. Eu demorava meia hora para deitar e, quando conseguia, a nenê acordava e era mais meia hora para levantar.

Era tudo em escala industrial, linha de produção. Três banhos, comida (cada uma queria uma coisa e a pequena queria peito). Quantas vezes eu estava pilotando o fogão, empurrando o carrinho com o pé e a pequena dormia, sem mamar… e não morreu…

E assim, aos trancos e barrancos, entre tapas e beijos, brigas, abraços, beijos, choros, festas e viagens, muitas viagens chegamos até aqui.

Como disse a Maria Eduarda no começo deste artigo, “filho é bom porque você não fica sozinha no mundo”. E por milhares de outros motivos.

Realmente nunca mais fiquei sozinha. Tomo banho com criança, vou ao banheiro com criança, durmo com criança, como com criança…

Agora dá licença que as minhas três princesas querem ir ao balanço. E claro, eu tenho que balança-las!!!

Conheçam o blog da mãe Dani: Surpresas da Vida