Dividir Com o Pai

Dividir Com o Pai

A Larah é meu “chicletinho” (não desgruda), mas, quando meu marido está por perto, ela torna-se “chicletinho” do pai e, resolvi escrever esse post ontem (domingo), quando observei a Larah e meu marido brincando. Desde o nascimento é muito importante dividir com o pai os cuidados com as crianças.

Atualmente essa paternidade ativa, está cada vez mais comum (Graças a Deus). Muitos pais participam ativamente, mesmo com o jeito particular deles, ajudam nas trocas de fraldas, nos banhos e na alimentação das crianças por exemplo.

Confesso que, na minha humilde opinião, esse tema não deveria ser interessante por ser algo natural essa participação dos pais, mas, infelizmente, essa realidade ainda não é para todas as famílias.

Vale ressaltar que os benefícios dessa relação do pai com a criança vai muito além do auxilio dado à mãe – afinal, como mães precisamos de ajuda – esse envolvimento, colabora significativamente para o desenvolvimento emocional e cognitivo dos pequenos.

Após esses dois anos e meio da Larah e algumas pesquisas na internet, consegui reunir algumas dicas para auxiliar a inserção dos pais nas tarefas do dia a dia com os bebês e, irei compartilhar com vocês agora:

Dividir Com O Pai Os Cuidados Com As Crianças

Oriente – Se para a mãe, muitas vezes é complicado e difícil cuidar de um bebê, imagina para o pai de primeira viagem. A tarefa não é fácil, sem contar a insegurança de estar fazendo certo ou errado, então, oriente o que você sabe para o pai, dessa forma, ele perde o medo e participará mais ativamente dos cuidados com o filho.

Delegue – A rotina de uma mãe de bebê não é nada fácil, muitas vezes falta tempo até para tomar banho. Aproveite quando o pai estiver por perto e delegue algumas atividades enquanto você toma banho ou faça outras atividades necessárias com mais tranquilidade.

Na madrugada – Tudo bem que a mãe terá que amamentar o bebê de madrugada, principalmente se o bebê mama leite materno exclusivamente (o ideal), mas o papai pode auxiliar, indo buscar o bebê no quartinho dele para trazer para a mamãe ou, poderá segura-lo enquanto ele arrota.

Não censure – Não queira que o pai cuide do filho igual você cuida, cada pessoa tem seu jeito e muitas vezes o jeito que ele cuida não é errado é somente diferente do seu.

Dê espaço – Dê espaço para que os dois possam fazer atividades sozinhos, só eles. Atitudes assim fortalece o vínculo entre eles, e incentiva o desenvolvimento dos pequenos.

Incentive – Como mães, temos o papel de incentivar que pais e filhos estejam cada dia mais envolvidos um com o outro. Promover o clima bom, o companheirismo e a amizade são de muita importância para toda a família.

Adri Rosa