Contadores de histórias mudam a rotina dos pacientes pediátricos do Hospital São Camilo

Contadores de histórias – A parceria com a Associação Viva e Deixe Viver conta com voluntários que se dedicam a viajar com os pequenos pacientes ao mundo da literatura

Com o objetivo de aprofundar e oferecer um tratamento cada vez mais humanizado aos seus pacientes, a Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo mantém uma sólida parceria com a Associação Viva e Deixe Viver, uma entidade sem fins lucrativos, formada por voluntários.

Contadores de Histórias

No Hospital São Camilo, os voluntários fazem o trabalho de contação de história para os pacientes pediátricos. Os pequenos que estão no ambiente hospitalar recebem as visitas que os ajudam a passar por aquele momento, muitas vezes difícil tanto para a criança, quanto para sua família.

Segundo Rita Calegari, psicóloga do Hospital São Camilo, ao promover ações humanizadas, passa a existir a possibilidade de uma troca de experiências e a valorização de uma sociedade mais humana e centrada nas relações positivas. “Todos se beneficiam, pacientes, familiares, funcionários, voluntários, porque o objetivo é comum: o bem do próximo. A transformação da sociedade para melhor depende muito deste tipo de ação”, relata a especialista.

A psicóloga explica ainda que a ação beneficia inclusive no tratamento da criança. “Como seres humanos, necessitamos de afeto e, quando doentes, ficamos mais fragilizados ainda – as ações, além de minimizarem o impacto negativo do adoecimento, oferecem conforto e acolhimento”.

Na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, os contadores de histórias estão presentes nas Unidades Santana e Pompeia, pois oferecem atendimento pediátrico. Para ser um voluntário da associação, os candidatos participam de um extenso e qualificado curso de capacitação onde são ensinados diversos pontos, como a importância da contação de histórias até os cuidados necessários no ambiente hospitalar.

Para mais informações acesse: www.vivaedeixeviver.org.br