Hoje estava refletindo sobre como sou ansiosa, sempre fui, muitas vezes sofri por antecipação, chorei imaginando algo que ainda não havia acontecido e já tomei atitudes precipitadas por causa da ansiedade.  E, quero confessar que tenho feito um esforço enorme para a ansiedade e o medo, de “não dar conta do recado” de criar um ser frágil e totalmente dependente de mim, não me consuma. Por muitas vezes tenho medo de que minha pequena fique doente, medo de não ser uma boa mãe. Mas, quando surgem estes pensamentos, logo arrumo forças para afasta-los da minha mente.

Nessa minha reflexão sobre o meu eu, para minha infelicidade, percebi que após a descoberta da gravidez, a ansiedade aumentou e depois que a Larah nasceu, nem se fala. Também, são tantas transformações, físicas, psicológicas e hormonais que uma mãe passa durante uma gestação, que seria novidade não existir ansiedade.

ANSIEDADE

ANSIEDADE

Ansiedade é algo muito sério, tenho plena consciência disso, hoje em dia, consigo controlar a ansiedade sozinha, mas sei que por algum motivo ela começar a tomar proporções maiores, serei obrigada a procurar ajuda com algum psicólogo ou analista.

Se não for controlada, a ansiedade pode causar o surgimento de enfermidades psicossomáticas, ou seja, doenças que afetam a saúde física e mental tais como gastrite, úlceras, colites, taquicardia, hipertensão, cefaleia e alergias.

Aflição, agonia, impaciência, inquietação. Esses são alguns sinais da ansiedade e, todas as pessoas possuem um grau de ansiedade, o que devemos fazer é aprender a lidar com ela para garantir uma vida saudável.

Relacionei algumas causas das maiores ansiedades de mãe, desde quando decidiu engravidar.

Ansiedade de mães

  • O dia fértil. Para quem controla o ciclo e pretende engravidar, e sabe que está no dia fértil, tem que se conter para não passar o dia ansiosa esperando o marido chegar em casa.
  • Atraso na menstruação. Que mulher vai negar que quando atrasa não vê a hora de comprar um teste de farmácia?!
  • Descobrir que está grávida. Ver um positivo para quem tanto quer um bebê é um dos momentos mais emocionantes e felizes na vida da mulher. Mas depois que passa a euforia, quem segura a ansiedade de sair contando para o mundo que você está gravida. E aí surge o dilema; conta ou não conta, espera passar as primeiras semanas, faz surpresa ou não para o marido.
  • Dia de ultrassom. Quem, assim como eu, contava os dias para chegar à data do ultrassom e nem dormia na noite anterior?
  • O ultimo mês da gravidez. Esse mês vira uma eternidade, não passa nunca. Haja controle emocional para conter a ansiedade.
  • O Parto. Isso nem vou entrar em questão, pois com certeza não tem ansiedade maior em saber como será o parto e o momento de conhecer a carinha do seu filho.
  • Dia de Pediatra. Para quem passa o dia todo em casa amamentando e trocando fralda, quer motivo maior de ansiedade do que dia de ir ao pediatra? Parece que vira o evento de mês. É a chance de colocar uma roupa mais bonitinha no bebê e sair um pouco da “toca”. Além disso qual mãe de primeira viagem não sabe exatamente o peso e altura do seu bebê  e não vê a hora de chegar a próxima consulta para comparar ?!
  • Dia de Vacina. Será que ele vai chorar muito, será que vai ter febre, será que vai ficar chatinho?
  • Os Primeiros Passos. Qual mãe não vê a hora de seu filho dar os primeiros passinhos?
  • O Aniversário de 1 ano. Conheço mães que mesmo antes da criança nascer já sabiam o tema da festa de 1 ano.
  • Primeiro dia de escola. Acho que todas as mães mal dormem na véspera de levar seu filho pela primeira vez na escola. Será que ela vai gostar? Será que vai chorar? Será que vai adaptar rápido?

E para vocês, ansiosas? O que mais gera ansiedade em sua vida?