Estudos mostram que a interação com os pets promove benefícios sociais, emocionais e à saúde

Animais de Estimação – Não é segredo que os brasileiros tratam pets como parte integrante da família, mas o que ainda não é amplamente disseminado é a influência que tais animais têm na socialização de crianças. No mês que vêm se celebram o Dia dos Animais (4/10) e o Dia das Crianças (12/10), a Mars traz à tona aspectos levantados em estudos do Centro de Nutrição e Bem-estar Animal WALTHAM™, que relacionam a convivência com animais de estimação ao desenvolvimento saudável das crianças.

Animais de Estimação

Animais de Estimação

Em sociedades ocidentais desenvolvidas, existe uma crença cultural de que ter animais de estimação faz bem às crianças. Acredita-se que isso ensine responsabilidade, desenvolva a empatia e promova a preocupação com os animais e o mundo natural. A ciência está apenas começando a examinar mais criteriosamente as muitas funções que os animais de estimação desempenham na saúde, desenvolvimento e bem-estar das crianças. Estudos mostram que animais podem atuar como ‘amortecedores de estresse’. Podem, por exemplo, aliviar a tensão associada a experiências que provocam ansiedade, reduzir a percepção da dor física e emocional, e ter um cão, especificamente, pode promover estilos de vida mais saudáveis e ativos.

 Animais de estimação como membros da família

Um aspecto do desenvolvimento socioemocional envolve os laços que as crianças formam com os animais de estimação e o suporte social que esses relacionamentos podem proporcionar. Relacionamentos próximos com cães e gatos também vêm sendo associados ao desenvolvimento de empatia e de comportamentos mais positivos entre as crianças.

Redução do estresse

Animais de estimação podem proporcionar suporte social às crianças. A redução do estresse pode ter efeitos positivos imediatos na frequência cardíaca e na pressão sanguínea de crianças, e ficou demonstrado que a presença de animais produz esses efeitos em pessoas em todos os estágios da vida e em uma variedade de contextos. A capacidade dos animais de oferecer suporte social sem julgamentos foi considerada como uma possível explicação para o efeito calmante da presença dos animais. Consultas médicas podem ser estressantes para as crianças e experiências negativas precoces podem levar ao desenvolvimento de temores de mais longo prazo que se generalizam para outras situações. Descobriu-se que a presença de animais acalma as crianças nesse tipo de situação que provoca ansiedade.

Promovendo estilos de vida saudáveis

A falta de atividade física e a obesidade na infância são preocupações crescentes da saúde pública em todo o mundo. Animais de estimação em geral e, cães em especial, podem ajudar a promover a atividade física, simplesmente por sua necessidade de exercício e sua vontade de brincar, contribuindo para um estilo de vida mais saudável e manutenção de peso. Alguns estudos relataram níveis mais altos de atividade física em crianças de famílias com cachorros, e um estudo na Austrália descobriu que crianças pequenas (5-6 anos) de famílias com cães tinham menos probabilidade de estar acima do peso ou ser obesas.

Desenvolvimento da linguagem

Apesar de o papel dos animais no desenvolvimento da linguagem ainda ser incerto, é interessante observar que estudos descobriram que ‘dog’ (cachorro) e ‘cat’ (gato) são algumas das palavras que ocorrem mais frequentemente nos vocabulários de bebês.

Alergias e imunidade

Evidências sugerem que a exposição a cães e gatos na infância pode reduzir a probabilidade de desenvolvimento de certos tipos de reações alérgicas posteriormente na vida, e ter animais de estimação em casa também foi vinculado ao aumento da função imunológica em crianças, conforme evidenciado por melhores taxas de comparecimento à escola devido a menos ausências relacionadas a doenças.

Transtornos do espectro autista (TEA)

Para crianças com autismo, foi relatado que intervenções assistidas por animais e equinos facilitam melhorias em áreas críticas, como funcionamento social, foco e atenção, comportamentos psicossociais, além de reduzirem o ensimesmamento e comportamentos estereotipados.

Animais de estimação na sala de aula

Estudos sobre os benefícios educacionais de incluir animais em salas de aula descobriram que crianças em idade pré-escolar têm maior probabilidade de acatar instruções e executar determinadas tarefas de habilidades motoras (por exemplo, concluir um percurso com obstáculos) mais rapidamente, mas sem sacrificar a precisão, quando estão na presença de um cachorro. Melhoras na comunicação entre os alunos e entre professor e alunos, redução dos comportamentos extremos e aumento da atenção no professor também foram relatados quando há cachorros presentes na sala de aula.

Educação especial

A educação especial, em particular, valeu-se dos efeitos calmantes dos animais para reduzir os comportamentos tumultuantes na sala de aula. Embora a evidência da eficácia desses programas seja limitada, parece haver um consenso geral entre eles de que a presença de anima pode reduzir as explosões emocionais, a agressão e outros comportamentos indesejados. Pesquisadores da área especularam que, além de reduzir o estresse e a ansiedade, os animais podem ajudar as crianças na concentração, ou podem proporcionar algum tipo de motivação de aprender e ser bem-sucedido em uma tarefa.

Para mais informações sobre os estudos acesse www.waltham.com ou entre em contato conosco.