Amamentação Exclusiva

AMAMENTAÇÃO

AMAMENTAÇÃO

No dia 13 deste mês, a Larah completou 1 ano. Um marco, primeiro ano de vida. Foram 12 meses de muito amor, de muito carinho, de muita dedicação, muitas descobertas, muitos aprendizados e muita amamentação.

Esta semana parei para refletir sobre a amamentação da Larah. Durante os seis primeiros meses, a Larah foi amamentada exclusivamente com leite materno e em livre demanda. O que para muitas mamães seguir por este caminho é uma opção muito complicada, para mim, foi muito tranquilo. Sempre falei que amamentar a Larah tornou-se um prazer para mim e para ela. Claro que durante a madrugada, muitas vezes reclamei um pouquinho, mas logo a sensação de cansaço era substituída por amor. Hoje tenho o maior prazer em dizer e comemorar: eu consegui! Durante esses seis primeiros meses de vida, consegui oferecer para minha filha o melhor alimento que ela poderia receber, e isso me realiza muito como mãe.

Mas, tenho plena consciência que esta facilidade que tive – a Larah pegou fácil, não tive dores e rachaduras, tive e ainda tenho muito leite – muitas vezes não acontece com outras mamães e se for necessário introduzir leite artificial, este deverá ser feito sem peso na consciência.

Ainda nas primeiras horas de vida, a Larah veio para o meu colo, era na madrugada do dia 14, a enfermeira disse que eu poderia tentar amamentar, mas que eu não me preocupasse se ainda não tivesse leite, lembro que a encaixei em meus braços com todo amor, ela estava tão quietinha, se aninhando em meus braços, quando ela pegou o meu peito e sugou. Sugou tão direitinho, parecia que tinha passado a vida toda fazendo aquilo. E eu chorei e agradeci muito por ela ter conseguido assim de primeira. Até então nenhuma gota de colostro tinha surgido, até o momento em que Larah mamou pela primeira vez.

Nestes seis meses, muitas pessoas deram pitacos, muitos sugeriram que eu deveria dar chazinhos, que eu deveria introduzir logo as papinhas, que só leite ela ficaria com fome, que eu deveria dar  mamadeira a noite para que ela dormisse a noite toda. Mas, como amamentar é um prazer e também porque todas as pesquisas revelam a importância da amamentação exclusiva até os seis meses, me mantive firme, sem me importar com os pitacos.

Quando chegou os seis meses da Larah,  confesso que senti uma pontinha de ciúmes de saber que meu leite já não seria exclusividade na alimentação dela – coisas de mãe coruja – mas, a fase de oferecer os diversos tipos de alimentos, também foi uma fase gostosa.

Agora, com 1 aninho, os pitacos voltaram, quase todos os dias tenho que dar explicações porque ainda não desmamei a Larah.

Sou mãe coruja, sou mãe com apego, amamentar não me incomoda, está mais do que comprovado que amamentar até os dois anos é super saudável. Porque irei parar agora?

E aí na sua casa como é ou como foi esta fase?